O Mistério do Casarão Preto

Num belo dia, numa praça, onde várias crianças e adolescentes brincavam, havia quatro amigos inseparáveis.

Lisa, Mariana, Nathan e Marcelo eram adolescentes curiosos e muitos amigos.

O sol estava se pondo e Marcelo disse:

– Vamos pra casa, pessoal.

– Não, vamos ficar mais um pouco – responde Nathan.

E todos confirmaram, começaram a jogar bola e de repente a bola caiu na barreira abaixo, mas o que estava lá embaixo era um cemitério e estava escurecendo.

E Mariana disse:

– Eu não desço lá naquele cemitério.

Lisa, que era a mais corajosa das meninas, então diz:

– Eu vou.

Mas como Nathan gostava tanto dela se preocupou e disse:

– Não, deixa que eu vou, pois você pode se machucar.

Lisa tem uma ideia:

– Que tal irmos todos juntos?

– É uma boa ideia – responde Nathan.

– Vamos todos.

-Vamos.

Todos descem juntos, mas ficam com medo e começam a procurar a bola. Só encontram a bola no túmulo de um casal. Mary Dallas e Paul Dallas.

Mariana fica com medo e diz:

– É melhor a gente ir pra casa.

– É melhor mesmo – responde Marcelo.

Mas os amigos vão para o caminho errado e começam a andar nas ruas escuras sem saber onde estão. Até que param para tentar achar o caminho de casa.

Marcelo fica olhando aos arredores e vê um casarão grande que parece mal assombrado ao lado deles, começa a tremer e fala:

– Pessoal, pessoal.

– Peraí, Marcelo, estamos tentando achar o caminho de casa pelo GPS.

– Gente, olha isso!

Quando todos olham, ficam totalmente paralisados quando veem o casarão preto.

Principalmente Marcelo e Mariana que combinam tanto. Mas isso não é tudo, a lua estava cheia, e começando a chover, eles não sabiam se ficavam do lado de fora ou se pediam para entrar.

Mas, de repente, dá uma trovoada tão forte que Mariana dá um grito e Marcelo percebe que ela está com muito medo e para ela ficar tranquila pega na mão dela.

Lisa diz:

– Que tal entrarmos, não deve ser pior do que ficar aqui fora. Deve?

– Acho que não – responde Nathan.

Mariana diz com medo:

– Só se os meninos entrarem primeiros.

– Tá bem – diz Nathan.

Quando batem à porta, ela se abre sozinha, eles entram e ficam na porta.

Lisa diz:

– Tem alguém em casa?

Ninguém responde. Então todos entram e quando todos estão dentro do casarão a porta se fecha sozinha com um estouro e – “POW”. Lisa abraça Nathan com um pouco de medo e Marcelo e Mariana saem correndo para tentar fugir, só que a porta não abre e eles não conseguem abri-la.

– A porta não quer abrir, gente.

– Como ela não quer abrir, ela estava aberta quando entramos – responde Lisa.

– Eu não sei, só sei que ela não abre.

– Vamos ficar calmos, deve ter sido o vento e a porta deve ter emperrado.

– É… Deve ter sido isso – responde Marcelo.

Mariana começa a ficar tranquila e diz:

– O que nós vamos fazer?

– Vamos dar uma olhada na casa – diz Lisa.

Então eles ficam todos juntos e começam a olhar as coisas esquisitonas do casarão.

Lisa começa a olhar os quadros da casa e vê uns de um casal, quando ela vê os nomes das pessoas não acredita e grita:

– Nathan, Mariana, Marcelo venham aqui, rápido!

– O que foi?

– Olha o nome desse casal é igual ao do cemitério: Mary e Paul.

Mariana começa a tremer de novo, com mais medo ainda.

Lisa diz:

– Se tem um quadro do casal aqui, a casa deve ter sido deles não é.

– Lógico que é. Os nomes são iguaizinhos – diz Marcelo.

Mariana diz:

– Tá, mas o que vamos fazer aqui.

– A gente pode olhar o casarão para descobrir sobre o casal ou outra coisa -responde Lisa.

– Tá, mas vamos ficar todos juntos ou não? Diz Mariana.

– Podemos nos separar em dois grupos – diz Nathan.

– Para mim tudo bem – diz Lisa.

– É. Pode ser – diz Mariana.

– Tudo bem – diz Marcelo.

– Então tá, eu e a Lisa vamos olhar lá em cima e vocês olham aqui embaixo, ok? – diz Nathan.

Lisa e Nathan sobem as escadas e veem vários quadros do casal, mas não só do casal, também havia de outras pessoas.

Já Mariana e Marcelo, ficam por perto da sala-de-estar para não se perderem. Lisa e Nathan ficam andando pelos corredores imensos e com várias portas.

Lisa diz:

– Vamos entrar numa porta, Nathan?

– Mas pra que, Lisa? Responde Nathan.

– Eu não quero ficar andando por esses corredores.

– E se a gente entrar numa porta e não gostar do que vê.

– Por favor, Nathan, vai ser rapidinho, juro!

– O que nós estamos procurando?

– Fácil, uma biblioteca por que pode ter livro, e quem sabe não tem um diário desse casal?

– E como você sabe que aqui tem uma biblioteca?

– Eu não sei, mas essa casa é tão grande que pode ter uma biblioteca.

– É grande mesmo, mas nós vamos abrir uma porta de cada vez?

– É sim.

Ele fica desanimado e diz:

– Ai meu Deus, estou achando que isso não vai dar certo.

– O que disse?

– Nada não.

– Tá, vamos começar.

– Vamos.

Eles começam a procurar por trás das portas, encontram quartos, banheiros e outras coisas.

Nathan diz:

– Nenhuma biblioteca, Lisa.

– Como? Nesse casarão deve ter uma biblioteca, a gente não deve ter procurado direito.

– A gente olhou em todas as portas, Lisa.

– É, me desculpe, Nathan, mas pode estar lá embaixo.

– Lisa.

– Não pode.

De repente, lá embaixo, Mariana grita e Marcelo fica apavorado:

– Lisaaaaaaaaaa!!!!!

Tudo por causa do fogo na frigideira.

Lisa e Nathan ouvem os gritos e saem correndo lá pra baixo, quando chegam lá se deparam com o fogo e dizem:

– O que vocês fizeram?

– Estava com fome, coloquei dois ovos na frigideira e começou a pegar fogo –responde Mariana.

– Nathan, Marcelo, vão pegar água antes que incendeiem a casa.

– Não tem água, Lisa – responde Nathan.

– Como, mas tinha água por que eu lavei a mão.

– Vão lá fora, deve ter água.

– Tá, mas não saia daí, a menos que comece a pegar fogo na cozinha.

Elas ficam tentando apagar o fogo, mas não conseguem, então diz Lisa:

– Vou ver se tem água lá em cima.

– Mas o Nathan disse pra nenhuma de nós sair daqui.

– Ele nem vai saber.

– Tudo bem, mas não demora.

– Tudo bem.

Lisa sobe as escadas e começa a procurar um banheiro, mas ouve um barulho atrás de uma porta, fica com medo, mas vai olhar. Quando ela abre a porta vê um cara de capa preta com rosto tampado. Lisa grita e corre, mas ele a agarra por trás e põe um pano com álcool no nariz dela e ela desmaia, chamando por Nathan.

Nathan e Marcelo ouvem os gritos e saem correndo pra ver o que aconteceu, mas quando chegam à cozinha, só veem Mariana e perguntam:

– Cade a Lisa?

– Ela foi procurar água, aquele grito não foi dela, foi?

Quando Mariana termina de falar Nathan se desespera e corre lá pra cima, chamando por Lisa. Só que não a encontra, procura em tudo e nada de Lisa.

– Agora, eu estou com medo, pessoal. A gente precisa achar a Lisa.

– Será que ela caiu em algum buraco? Responde Marcelo.

– Que buraco?  Diz Nathan.

– Sei lá, como uma passagem secreta – fala Marcelo.

– É isso, pode ser que ela tenha ficado presa – responde Nathan.

Mariana diz:

– Mas o que vamos fazer, Nathan?

– Nathan – diz mariana.

– A gente pode ver se tem alguma passagem nas paredes.

– Vamos lá.

Eles começam a procurar a passagem secreta pelas paredes. Só que não encontram nada, então Nathan tem uma ideia.

– Vamos procurar uma biblioteca, lá deve ter uma passagem, nos filmes sempre tem.

Eles começam a procurar e procuram, mas ouvem um barulho atrás da porta e vão ver pensando que é Lisa. Só que não era ela e sim o cara de capa preta. Nathan vê o cara e já pensa que ele pode ter pegado Lisa.

Nathan diz ao cara:

– Cadê a Lisa?

– Ela esta muito feliz ao meu lado.

– Você não tem o direito de pegá-la.

-Por que não?

-Porque ela é minha amiga. E quem é você?

-Sou a pessoa dos seus pesadelos.

-Acho que não.

O cara sai correndo pelos corredores. Nathan e Marcelo correm atrás dele. Quando o homem entra num corredor. Nathan e Marcelo entram, mas perdem de vista o homem, porque ele entra numa passagem secreta.

Marcelo diz a Nathan:

– Cadê ele?

– Eu não sei. Como ele pode ter desaparecido?

– Eu acho que sei.

– O que?

– Ele pode ter entrado num passagem secreta.

– É isso!!! A passagem deve estar por aqui.

– Então vamos procurar, Nathan.

– Mas primeiro vamos buscar a Mariana antes que ela suma.

Eles vão à sala e veem Mariana sentada no sofá. E quando chegam lá Mariana diz:

– Vocês me deixaram sozinha.

– A gente foi atrás do cara – responde nathan.

– Tínhamos que ir os dois.

– Me desculpa, Mariana – diz Marcelo.

Nathan fala baixinho:

– Não devia ter vindo buscá-la e por que ele não a pegou.

– O que? – diz Mariana.

– Nada. Vamos, a gente vai procurar a passagem secreta.

– De novo?

– A gente perseguiu o cara e depois ele sumiu num corredor.

– Então você acha que ele passou por uma passagem?

– É sim.

– Então vamos, quero minha amiga de volta.

– Vamos.

Eles vão para o corredor, onde o cara sumiu e mariana diz:

– Vai ser fácil achar uma passagem se tiver uma. O corredor é pequeno.

– Só porque ele é pequeno não quer dizer que seja fácil – responde Nathan.

Eles procuram e procuram, mas não encontram nada.

Mariana cansada de procurar diz:

– Você é um idiota. A gente não encontrou nada de novo.

Mariana coloca a mão num tijolo e a parede começa a se mexer, eles vão para trás.

E Nathan diz:

– Você encontrou? – com o maior sorriso no rosto.

– Me desculpa, de ter te culpado tanto.

-Tudo bem.

A parede começa a se dividir e abrir ao mesmo tempo. Eles entram e a passagem se fecha. Eles encontram uma porta e a abrem devagar, só que não havia ninguém no quartinho. Só muitas fotos e jornais.

Nathan vai ler o jornal e descobre por que o casal do cemitério morreu.

Nathan chama Mariana e Marcelo e diz:

– O casal foi assassinado por um irmão da Mary Dallas por que ele queria a casa e o dinheiro da família Dallas. E o casal tinha dois filhos que não morreram e que se chamavam Julia e Juliano. Quando Nathan vira a folha do jornal vê uma foto da filha e do filho do casal, mas não entende como Julia parece tanto com Lisa.

E Nathan diz:

– Mariana, o nome da mãe da Lisa não é Julia?

– É. Você não acha que essa Julia é mãe da Lisa, acha?

– Acho, por que a menina da foto é muito parecida com a Lisa e a mãe da Lisa se chama Julia e eu acho que o último sobrenome dela é Dallas.

-Será?

Marcelo diz:

– Mas o irmão do casal. Como ele se chama?

– Chama Theo Dallas.

– Ele ainda tá preso? – pergunta mariana.

– Isso aconteceu em 1970. Se nós estamos em 2005 são apenas 35 anos de lá pra cá. E se o cara tinha 20 anos agora ele tem 55 – diz Nathan.

– Ele deve estar vivo ainda.

– Deve, porque pegou 20 anos de cadeia.

– Então ele saiu faz 15 anos – responde Marcelo.

– Exato, mas a gente precisa sair daqui e ir para a delegacia.  Quando ele diz isso todos ouvem alguém vindo e Marcelo diz:

– Escondam-se!

Quando o cara de capa preta entra e vê umas folhas jogadas no chão e diz:

– Esses ventos derrubam todos. Mas com aquela menina quero ver se eles não vão dar o dinheiro da família Dallas todinho para mim.

Quando o cara sai todos saem do seu esconderijo e Nathan diz:

– Ele só pode ser o Theo Dallas, irmão da Mary Dallas.

– É melhor a gente sair daqui e ir para a polícia. Lisa pode estar correndo perigo – fala Marcelo.

– Ele é um assassino, vamos sair dessa casa – diz Mariana.

Todos saem da passagem e levam as fotos e jornais nos bolsos. Na sala, Marcelo e Nathan tentam abrir a porta, mas ela não quer abrir.

Mariana tem uma ideia:

– Já que a gente não pode abrir a porta, a gente pode sair pela lixeira da cozinha e nós vamos cair no lixão. Eca!!! Mas é pela a Lisa.

Eles vão à lixeira, ela está aberta, primeiro desce Mariana, morrendo de nojo, depois Marcelo e, por último, Nathan.

Lá fora, no meio da rua, acham a praça que estava brincando e vão para a delegacia. Quando chegam lá, o guarda pergunta:

– O que estão fazendo aqui nessa hora?

Todos falam ao mesmo tempo. O guarda não consegue entender nada.

Chega o delegado e diz:

– Calma, um de cada vez, esperem aí. Vocês não são os adolescentes desaparecidos?

– Que adolescentes desaparecidos – diz Nathan.

– Esses. E o delegado mostra as fotos.

O policial da bancada diz:

– Falta uma menina, não falta?

– Sim, Esse é o problema – fala Nathan.

O delegado diz:

– Calma, vocês vão poder dizer tudo, mas, primeiro, vou ligar para os seus pais que estão muito preocupados e os dessa Lisa também.

– Dessa? – diz Nathan.

– É…

Quando o delegado termina de telefonar para todos os pais ele diz:

-Onde vocês estavam?

– No casarão.

– Que casarão?

Quando iam responder os pais chegam. O do Nathan abraça-o, o da Mariana a abraça e a beija, já os pais de Marcelo brigam com ele, os pais da Lisa não fazem nada, só olham.

A mãe da Lisa pergunta:

– E a nossa filha?

– Desculpe-me. Eles não disseram nada ainda.

Depois de um tempo, o delegado chama a todos para uma sala e começa o interrogatório:

– Cadê Lisa Bloom Dallas?

Nathan diz a Marcelo e Mariana:

– Não disse que o nome dela tinha Dallas?!

O delegado diz num tom mais alto:

– Cadê a Lisa Bloom Dallas?

– ela está no casarão – responde Mariana.

– Onde é esse casarão?

Nathan pergunta:

– O Theo Dallas está preso ou não?

Julia (mãe de lisa) se assusta por que ele era irmão da sua querida mãe e diz:

– O que ele tem a ver com a minha filha?

O delegado se intromete e pergunta?

– O que aconteceu hoje, vocês podem falar?

Nathan começa a falar:

– Nós estávamos brincando na praça, aí a bola caiu no túmulo da família Dallas. Nós todos fomos buscar a bola e aí nós nos perdemos e vimos um casarão, Lisa insistiu em pedir pra entrar por que estava começando a chover. Quando nós entramos ficamos vendo a casa e aconteceram coisas estranhas como a frigideira pegando fogo, eu e o Marcelo fomos lá fora buscar água. Como a Lisa é teimosa foi lá em cima tentar achar água. E nós ouvimos gritos dela, depois ela sumiu, e achamos que o cara da capa preta pode ser o Theo Dallas.

Julia fica desesperada e chora nos braços do seu marido Felipe que diz:

– Calma, nós vamos encontrar nossa filha.

– Eu a quero aqui comigo.

– Você vai tê-la. Eu posso chamar seu irmão.

– Isso. O Juliano.

– Ele pode ajudar a encontrar nossa filha.

O delegado manda viaturas para o casarão e chama reforços para ajudar a pegar Theo Dallas.

Juliano chega à delegacia, abraça sua irmã e fala:

– Você está bem?

– Não, não estou bem. Por que ele pegaria ela?

– Eu não sei, Julia.

Nathan diz:

– Eu sei por que ele pegou a Lisa.

– Porquê? – diz Julia.

– Por que ele quer o dinheiro da família Dallas.

– O que?

Juliano diz:

– Nós vamos encontrá-la.

– Você acha?

– Acho sim, e eu e o Felipe vamos ajudar.

O delegado diz aos pais e seus filhos que podem ir para casa, que daqui em diante eles cuidam.

Nathan não gosta disso e diz:

– Eu vou ajudar a encontrá-la.

O delegado responde:

– Não, nós é que vamos encontrá-la e você vai para casa.

– Não vou não.

– Vai sim.

Nathan vai falar com seus amigos e diz que vai ao casarão procurar Lisa. Marcelo e mariana não pensam duas vezes e dizem que também vão.

Os amigos saem correndo para o casarão e o delegado percebe isso, liga para os policiais que estão no casarão e diz:

– Só deixem entrar policiais, só policiais.

– Porquê?

– Por que tem crianças querendo entrar pra ajudar a amiga.

Nathan e seus amigos chegam no casarão e veem muitas viatura da polícia lá, então procurar para saber se tem alguém nos fundos e percebem que está vazio, e eles entram pela cozinha e vão para a sala.

Quando o delegado entra na sala de estar vê os adolescentes na escada olhando pra ele.

Nathan fala:

– Demorou muito.

– O que?

-Ah… E ponham viaturas e policiais no fundo, se fosse ele já tinha fugido.

O delegado fica furioso com os policiais e grita:

– O QUE VCS ESTÃO ESPERANDO, PRA IR LÁ PROS FUNDOS¿ E o que vocês crianças estão fazendo, venham aqui.

Marcelo diz:

– CORRE!!!!!

Todos correm lá para cima, e entram na passagem do corredor, mas ouvem alguém vindo e então se escondem. Theo Dallas sai da passagem que fica no chão, os meninos veem tudo e o cara procura o jornal e as fotos, mas não acha. Então diz pra si mesmo:

– Devo ter colocado em outro lugar.

E sai pela passagem do corredor. Nathan diz aos amigos:

– Deixa eu colocar esse jornal e essas fotos aqui né.

E Mariana diz:

– Se ele tivesse olhado debaixo da mesa, eu estava frita.

Eles descem e veem Lisa sangrando deitada no chão, Nathan fica muito preocupado, então é o primeiro a chegar lá, mas Theo estava vindo e Marcelo avisa a todos os seus amigos que se escondam de novo.

Nathan e Marcelo saem do esconderijo para tentar ajudar Lisa que está inconsciente. Quando Mariana chega à sala de visita gritando como uma maluca. Os policiais perguntam:

– Calma, o que aconteceu?

– Encontramos a Lisa.

– Onde?

– Numa passagem secreta

– Qual?

Felipe fica preocupado e diz:

– Como ela está?

– Ela está… ela está sangrando e não está acordada.

O pai de Lisa se desespera e diz:

– Preciso encontrar a minha filha.

E o delegado diz:

– Onde está ela?

– Sigam-me – diz Mariana.

Todos  que estão na sala seguem Mariana até a passagem. Enquanto isso, lá na passagem secreta, Nathan tenta acordar Lisa e consegue fazê-la acordar, mas ainda sentindo muita dor.

Nathan diz:

– Oi.

– Oi.

– Está sentindo alguma dor?

– Estou, mas me desculpa… não deveria ter saído da cozinha.

– Tudo bem, não se preocupa, onde você está sentindo dor?

– Na perna e do lado da barriga.

– A Mariana já foi chamar ajuda e o Marcelo está aqui comigo.

– Eu estou me sentindo cansada e fraca.

– Eu vou te ajudar.

– Está bem.

De repente, chega o homem de capa preta e diz:

– Eu não deixei você.

– Ela está ferida.

– Eu sei, fui eu que fiz isso.

– O que? Ela poderia ter morrido.

– E daí?

– Os policiais estão aqui. Sai de perto dela.

– Não. Se você não sair daí eu vou atirar no seu amigo.

Marcelo morrendo de medo diz:

– Eu não quero morrer.

– Calma, garotinho, isso depende do seu amigo.

Nathan sai devagar de lá, mas de repente uns policiais entram e começam a atirar em Theo, só que ele começa a correr e leva Lisa junto.

Nathan diz:

– Andem logo, ele está fugindo.

Os policiais vão atrás dele e atiram, mas pega de raspão na Lisa, e no ombro do Theo Dallas.

De dor ele a derruba no chão. E sai correndo. Mas os policiais atiram nas costas de Theo e ele cai no chão.

Felipe pega Lisa muito preocupado e chama os bombeiros para fazer os primeiros socorros.

Todos vão para o hospital, os pais de Lisa ficam preocupados com a cirurgia, e daqui a pouco chega o médico e diz:

– Ela está bem.

Todos comemoram por Lisa estar bem. Os pais de Lisa vão vê-la e dizem:

– Oi, meu anjo.

– Oi, mãe.

Eles conversam sobre tudo, principalmente sobre a família da sua mãe que nem imaginava que poderiam ter aquele passado todo.

Nathan vai falar com ela:

– Oi. Você está bem?

– Estou sim, obrigada por ficar comigo quando eu precisei.

– Tudo bem.

Uns dias se passam…

Lisa diz a sua mãe:

– Eu posso ir à praça, mãe?

– Pode, mas não vá longe.

– Tudo bem.

-TCHAU!

– Mãe, eu te amo.

– Também te amo, filha.

Lá na praça, Lisa, permanece por um tempo sentada no banco vendo o pôr-do-sol. Chega Nathan e diz:

– Oi, tudo bem?

– Tudo.

– Tem certeza?

– Tenho… Ah, Nathan, obrigada mesmo, se não fosse por você, não sei o que teria acontecido comigo.

– Tudo bem.

– Você é muito especial pra mim.

– Como um amigo?

– Não, como isso…

Lisa beija Nathan e Marcelo e Mariana flagram os dois se beijando e dizem:

– Que casal mais fofo.

Eles se separam quando ouvem os amigos.

Nathan estranha os dois de mãos dadas e pergunta:

-Por que vocês estão de mãos dadas?

-É… Nós estamos juntos.

-E depois fala da gente né, Lisa?

-Ééééé.

Os amigos ficam conversando naquela tarde.

Vocês devem estar se perguntando o que aconteceu com Theo Dallas. Aconteceu que ele fugiu a caminho da hospital. Será que ele ainda quer o dinheiro da família Dallas???

Raquel Torres – 9A

Anúncios

37 comentários em “O Mistério do Casarão Preto

  1. Letícia Ferreira disse:

    Eu adorei essa história ela e muito misteriosa e os personagens sâo muitos legais e adorei muito o românce que teve entre eles.

  2. Rayanne silva disse:

    Eu amei a história da Raquel porque foi muito criativa além de ter sido de mistério foi também de romance.
    Amei.

  3. Luanett emo gótica do bonde stardust disse:

    Oi oi oi oi oi oi oi dança… parei, gostei, tá legal, parabéns, agr faz uma dedicatória ai pra mim

  4. Ester Rocha disse:

    MIGAAAAAAAAA vc é mto criativa, pode parando u-u, depois que os outros roubam a sua história nn pergunte o porque .

  5. Jennifer Moura disse:

    Nossa , muito assustadora essa historia em raquel , parabens amiga continue assim .

  6. Helen disse:

    Achei mt legal , amei 😉 ..

  7. Taina disse:

    Amei a historia, bem legal super criativa 😋

  8. Josias disse:

    ótima história, achei muito boa 🙂

  9. Maiara Sousa disse:

    nossa que historia legal .. parabéns pela sua criatividade continue assim 🙂 beijos

  10. Richard Calixto disse:

    Achei muito legal a historia da raquel,muito legal,muita criativa.
    parabens

  11. Julia Pereira disse:

    Gostei da sua historia,é muito legal e também criativa ,amri o romance que teve entre os personagens.
    Parabéns pela grande historia.

  12. Richard Calixto disse:

    Adorei sua historia mesmo,li muitas vezes eu amei sua historia.

  13. Terror, suspense, romance… Teve de tudo!!!

  14. Naomy Nathalia disse:

    Adorei tudo, principalmente os personagen.A historias da Raquel sao sempre criativas e senpre muito legais, tomare q ganhe.
    Parabéns amiga.

  15. Millene torres disse:

    Gostei da sua história Raquel, é muito legal e misteriosa.nao tenho palavraa pra sua história.

  16. Murilo Melão disse:

    Gostei da história, legal.
    Parabéns.

  17. Mateus Oliveira disse:

    Legal a história.

  18. Mickael Silva disse:

    Legal a história gostei bastante.

  19. Bruninha da zl disse:

    A Raquel é ótima em fazer história e também muito criativa.
    Parabéns

  20. Amanda Souza disse:

    Nossa eu amei o seu conto de terro ja vi melhores mas gostei pra caramba para bens voce meresse o premio

  21. Janaina Moura disse:

    Adoreeeeeii sua história, vc é muito boa em contos de terror e romance.
    Parabéns, estou torcendo pra que ganhe.

  22. Vivi disse:

    Vc é muito criativa, gostei da sua história, ela é muito legal e adorei o sobrenome da família.Dallas é um nome chique e eu adorei…

  23. Ramon Gomes disse:

    A história é incrível, Raquel
    Parabéns!!!

  24. Jonathan Corrreia disse:

    Vc escreve muito bem, e tomare que vc ganhe,vc foi muito criativa na sua história.

  25. Sandra disse:

    História sensacional, muito criativa.
    Parabéns pela história e tomara q ganhe
    Tchau e bjss

  26. Maurício disse:

    É muito criativa, queria saber como vcs inventam essas histórias.
    Parabéns pela história.

  27. Clara Novais disse:

    Achei muito legal a história do casarão.
    Parabéns pela história, e torço pra vc ganhar.
    Tchau, bjos…

  28. Gabriel Gomes disse:

    A história ficou muito boa, parabéns e tomora q ganhe…

  29. Guilherme torres disse:

    Que legal…

  30. Guilherme disse:

    Amei sua historia,muito legal…

  31. Gabriel disse:

    Que história aterrorizante,adorei o theo dallas,o assassino da familia,
    que daora,parabens pelo conto…

  32. Parabêns Rachel muito criativa e muito boa!!!

  33. marcos vinicios disse:

    Amei a historia parabéns o que mais gostei foi do misterio da historia e do romace no final

  34. gabriel gomes disse:

    Gostei muito da historia parabéns Raquel, eo que mais gostei foi o misterio.

  35. Raquel Silva disse:

    Obrigados todos que comentaram na minha história e que também gostaram,
    Obrigado mesmo…

  36. Nalda disse:

    Adorei muito sua história, tomare q ganhe.Vc escreve mt bem.
    Parabéns.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s