Pronto, acabou o Carnaval. Agora é hora de pensar no Lollapalooza

 
 
A folia de Baco nem bem terminou e já é momento de pensar em outra bagunça que está próxima: o Lollapalooza Brasil 2015 chega em São Paulo em março (28 e 29).
Festival que trouxe alguns dos melhores artistas da cena indie mundial nos últimos anos e outros tantos pesos pesados do mainstream da música, o Lolla 2015 promete shows do mesmo naipe.
Para este ano o evento de Perry Farrel escolheu como headliners Robert Plant, Jack White, Pharrel Williams e Smashing Pumpkins, além de promover ótimos sustentáculos a estas apresentações com Skrillex, Kasabian, Interpol, St Vincent e Alt J.
Claro que no meio desse balaio todo haverá surpresas agradáveis e outras decepções, mas gente conhecida do mundo eletrônico e do underground global como Bastille, Marina and the Diamonds e Steve Aoki, além de bandas de respeito como Pitty, Boogarins e Banda do Mar estarão por lá para dar certo gás aos bambambãs da noite, o que é sempre bom.
Tirando o fato de haver alguma troca de última hora o festival já está completo, algo que pontua a seu favor (vide o caso do Rock in Rio que ainda nem anunciou seus principais artistas). Portanto, agora só falta a informação acerca dos horários dos shows, situação que faz fãs arrancarem os cabelos pelo desespero de ter que escolher uma ou outra atração. No ano passado pessoas ficaram enlouquecidas pelo fato de ser necessário favorecer ou Arcade Fire ou New Order (o show de ambos era exatamente no mesmo horário).
Abaixo, listamos algumas atrações que o Blog Outros Sons julga serem imperdíveis, mas mais à frente realizaremos inúmeros posts contando a trajetória de outros artistas que se apresentarão nos dois dias no Autódromo de Interlagos (outra ótima sacada que funcionou otimamente em 2014 e agora se repete).
 


St Vincent
A cantora, compositora e guitarrista não pode ser considerada uma revelação (já fez inclusive um memorável disco ao lado de David Byrne intitulado “Love this Giant”), mas se tornou mais conhecida do grande público com seu ótimo álbum homônimo que faturou vários prêmios e que figurou em muitas listas do ano passado.
Ela faz uma apresentação enérgica, cheia de mudanças em seu ritmo e toca guitarra como poucas (os). Vale a pena conferir o show que deve se situar entre o final da tarde e o começo da noite do dia 28 de março num dos grandes palcos do festival.
O tamanho da apresentação deve ter em média 50 minutos, mas mesmo assim dará tempo suficiente para dançar ao som de “Digital Witness”,  Birth in Reverse”, “Bring Me Your Loves” e “Cheerleader”, além de covers de Nirvana, entre outras músicas. Seu som se classifica entre o art rock e indie pop e é garantia de que seu ingresso não será apenas para as bandas do final da noite.
Digital Witness

 Interpol
A banda que agora tem na figura de Paul Banks sua cara e estilo se reinventou após a saída de Carlos Dengler e provocou estardalhaço em 2014 com o lançamento de “El Pintor”, disco no qual volta à potência sonora de seu primeiro trabalho, “Turn on the Brigth Lights”.
A pegada dos caras oriundos de Nova York se fixa entre a instrumentação favorecendo as guitarras a la Joy Division e o indie rock do final dos anos 80, como Pixies, Sonic Youth e Jesus and Mary in Chain.
Deste modo, a apresentação de Banks e sua banda deve ser por volta das 17 horas do domingo (29 de março), quando não teremos mais horário de verão e poderemos ver e ouvir o Interpol no começo da noite paulistana.
Músicas de forte apelo vocal e ótimo acompanhamento instrumental como “Evil”, “NYC”, “C’Mere” e “Obstacle 1”, dos primeiros discos, além das ótimas e potentes “All the Rage back Home”, “Everything is Wrong” e “My Desire” do último álbum darão o ar das graça durante a apresentação. Não perca!
Everything is Wrong

 Alt J
Já faz tempo que o Blog avisa sobre a estranheza auditiva que acomete o indivíduo quando este ouve a banda inglesa Alt J. A questão é que junto a esta primeira impressão sonora também é possível perceber um jeito diferente e interessante de se fazer música.
O estilo meio de grupo vocal que, às vezes, dá a ideia da banda logo muda para uma banda indie e que se transforma numa garage band voltada às brigas de suas guitarras.
Tudo isso pode ser incluído numa simples apresentação desse pessoal que só está no segundo disco e que angariou boas colocações nas listas de melhores do ano passado.
E o que parecia difícil acabou acontecendo: o Alt J tem algumas músicas na parada mundial e já pode ser ouvido em rádios mais conservadoras lá e cá.
Seu set deve conter “Breezelblocks”, “Every Ohter Freckel”, “Hunger of the Pine” e “Left Hand Free”, mas sempre há algumas surpresas no show que deve acontecer lá pelas 20 horas do dia 28 de março. Ótima sugestão para apresentação do festival.
Breezelblocks
Anúncios

2 comentários em “Pronto, acabou o Carnaval. Agora é hora de pensar no Lollapalooza

  1. claquetegirls disse:

    Nunca fui nesse festival, mas tenho vontade de ir kkkkkjs
    Bjs

    https://claquetegirls.wordpress.com/

  2. Vale a pena, viu… Nem toda atração é imperdível, mas pelo menos a organização é das melhores!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s