Lorde: ela voltou sensualizando com Disclosure

Sim, é ela mesmo!

Lorde, a garota abaixo de 21 anos mais famosa da Nova Zelândia volta com novo single ao lado do duo mais bacana do mundo eletrônico atual: o Disclosure!

Ou seria mais apropriado dizer que se trata de uma faixa nova dos meninos?

A grande verdade é que o Disclosure (dupla formada pelos descolados irmãos ingleses Guy e Howard Lawrence) lançou seu segundo disco de estúdio, “Caracal”, na última sexta-feira (25) e dentro do trabalho há parcerias com gente grande do cenário musical atual.

Há desde gente descolada do mundo eletrônico e dance como The Weeknd e Kwabs quanto o chato papador de Grammy Sam Smith, além do rapper Miguel.

No meio desse balaio de gato surge a cada vez mais bela Lorde. Com seu estilo esquisitoide e magnífico. Dessa vez até sensualizando a menina está no vídeo-clipe promocional da faixa “Magnets”.

Lembrando que não é a primeira vez que a garota e os meninos trabalham juntos, pois ano passado até apresentação lado a lado eles realizaram.

Veja abaixo o vídeo da canção:

Anúncios

Começa Quinta-feira o Concurso mais esperado do ano no Riva

Como já é de praxe nos meses de Outubro, começa dia 01 o Concurso de Contos de Terror do Rivadávia.

Neste ano o esquema mudou um pouco, mas ainda a ideia ainda continua a mesma.

Estamos terminando de editar os contos e logo pela manhã do primeiro dia do mês das Bruxas já teremos todas as histórias de terror colocadas aqui no Blog.

A principal alteração deste ano é que não haverá mais necessidade de incluir comentários em cada post com o conto, mas somente bastará curtir a história para que o voto para a pessoa seja computado.

Portanto, não perca por esperar, pois você sentirá muito medo com o que lerá, já que estão muito boas as histórias.

Faith no More em Sampa: às favas com os hits

O Faith no More se apresentou ontem à noite (24) no Espaço das Américas, local paulistano dos melhores para apresentações musicais de médio porte.

Isso já ajuda uma banda que está acostumada a experimentar desde os anos 80, aliás, antes mesmo do próprio ícone do grupo, Mike Patton, fazer parte dela.

Mas é com o cantor e maluco afeito a inúmeros projetos que o grupo advindo de São Francisco, California, deu um pulo na carreira.

É impressionante como Patton tem o público em sua mão, mesmo quando joga fora uma carreira feita de muitos sucessos para basear o show do FNM em lados B e experimentações nas próprias músicas mais conhecidas.

Foi o que aconteceu, por exemplo, na faixa “Evidence” que foi cantada em parte em bom português e modificada em parte o seu ritmo, algo que se repetiu com “Midlife Crises” que ganhou toques de discoteca, angariado pelo enorme globo no centro do palco, que fazia o show em certos momentos se parecer com um grande baile dos anos 70.

Isso ocorreu também com os covers de “Easy” (Commodores) e “I Started the Joke” (Bee Gees) que fizeram vintões, trintões e quarentões dançarem sem terem vergonha de nada e de ninguém.

O show do Faith no More é assim, assim como o é sua carreira: eles não têm temor de se tornar ridículos e fazem seus experimentos sem medo de serem felizes.

Para isso, o vocal agressivo, verborrágico e gritado de Patton se alia muito bem com o baixo característico e pesado de Billy Gould e a bateria similar de Mike Bordin, instrumentos que são, de fato, a base do grupo desde seus áureos tempos. É por meio deles que a influência do funk e hip hop americanos soam tão pesados aos ouvidos dos fãs.

Mas isso não quer dizer que a guitarra precisa e contida de Jon Hudson, músico que substitui o grande Jim Martin desde 1997. Sem falar no trabalho importante que Roddy Bottum faz com a ambientação de seu teclado para adensar as músicas, além de falar uns palavrões em português para o público de vez em quando.

Deste modo, canções antigas como “Land of Sunshine”, “Caffeine”, “Ashes to Ashes” e “From Out Of Nowhere”, além das novas músicas “Motherfucker” (que abriu de forma apoteótica o show) “Sunny Side Up” e “SuperHero” presentes no mais recente disco “Sol Invictus” fizeram a alegria tanto de quem se espremeu entre aproximadas 8 mil pessoas no local do evento.

É necessário salientar que, mesmo lutando contra celulares posicionados para gravar os momentos em que “Epic” foi mostrada, este talvez tenha sido o instante mais normal da banda em cima do palco, pois não realizaram nenhuma mudança significativa no seu maior hit.

Deste modo, fica evidente que o Faith No More não está nem aí para mostrar apenas o que faria de sua apresentação um grande caminhão de músicas fáceis das FMs, mas que pretendem ser um grupo afeito a experimentações e empolgados em apresentar seu material novo.

Ganha quem vai ao show para assistir a artistas fazendo bem o que gostam: música boa!


Set List

Motherfucker

Land of Sunshine

Caffeine

Everything Ruined

Evidence (versão em português)

Epic

Sunny Side Up

Midlife Crisis

Chinese Arithmetic

The gentle Art of Making Enemies

Easy (Commodores Cover)

Separation Anxiety

Matador

Ashes to Ashes

Superhero

Bis:

The Crab Song

From Out Of Nowhere

I Started the Joke (Bee Gees Cover)


Abaixo, veja um vídeo tosco feito por algum fã do momento em que foi tocado “Evidence”:

Eagles of Death Metal: Josh e Jesse soltam o novo álbum completo

E não é que o mês de setembro (e mais precisamente esta semana) está sendo prolífico demais em lançamentos oportunos?!

Além dos novos LPs de Chvrches e New Order (confirmados para hoje), também o projeto de Jesse Hughes e Josh Homme lança seu novo petardo.

Depois de ficar sem mostrar material inédito por sete anos, o Eagles of Death Metal está de volta com “Zipper Down”, atividade de estúdio com onze faixas (incluindo um cover de Duran Duran) que saiu extra-oficialmente quarta-feira (23) pelo selo Downtown Records. O disco teve produção completa e irrestrita do próprio líder do QOTSA, que anda por esses lados do trópico nesses dias (tendo feito um excelente show ontem no palco Mundo do RiR ontem à noite com sua principal banda).

O novo álbum tem seu lançamento físico nas lojas somente no dia 2 de Outubro, mas já pode ser ouvido gratuitamente através de streaming disponibilizado pela NPR Music, algo que tem sido normal entre os grandes artistas do meio ultimamente.

Através de comunicado, Hughes afirmou que o álbum representa uma atitude e filosofia de vida. “Uma pessoa não deve subir o zíper, eles tem é que abrir o zíper e botar tudo para fora”, afirmou o abusado rapaz.

“Em um estudo independente, quatro de três médicos dizem que ‘Zipper Down’ é um orgasmo de ouvido preso dentro de um raio de loucura. E eu acredito neles”, finalizou o multifaces Josh Homme.

Que os deuses do Rock conservem gente com essa sede por trabalhar música de um jeito diferente por muitos e muitos anos. Os fãs agradecem imensamente.

Ouça o álbum “Zipper Down” completo:

Zipper Down


Track List

Complexity 2:46

Silverlake (K.S.O.F.M.) 3:35

Got a Woman 2:02

Love You All The Time 3:09

Oh Girl 4:08

Got the Power 3:28

Skin Tight Boogie 3:12

Got a Woman (slight return) 0:41

The Deuce 3:06

Save a Prayer (Duran Duran Cover)4:40

The Reverend 3:29


Complexity

Chvrches novo liberado para todo mundo ouvir. E com a benção da própria banda

O Chvrches, banda eletrônica escocesa constituída pelo trio Iain Cook, Martin Doherty e Lauren Mayberry, está em fase favorável.

Além da postura renovadora e inovadora de Lauren, candidata a ícone desta geração (geração esta cheia de gente que não gosta de mostrar opinião) por conta de seu discurso forte e contundente sobre misoginia e sexismo na indústria musical, o grupo que passeia pelo synthpop e pelo indie deixando bons rastros nas pistas desde o EP “Recover” e o debut “The Bones of What You Believe”, ambos de 2013) lança sexta-feira próxima (25) o aguardadíssimo segundo trabalho de estúdio.

“Every Open Eye” chega com missão pesada de suceder o primeiro álbum que promoveu o trio a um dos grandes nomes da música alternativa desta década.

E por causa disso, talvez prevendo a comoção que tomará conta de fãs e imprensa especializada, o disco já pode ser ouvido gratuitamente por qualquer pessoa no mundo.

A banda disponibilizou a audição através do NPR Music, antes mesmo de serviços de Streaming como o Spotify terem acesso a todas as canções.

Essa nova empreitada do grupo proveniente de Glasgow traz tudo que já deu certo na sua estreia e também se percebe a aposta mais contundente no vocal sutil, agudo e sereno de Mayberry.

Além disso há algumas claras influências de ambientação do New Order dos anos 80. Curiosamente, a data escolhida para emplacar “Every Open Eye” coincide com o lançamento do novo disco da banda de Manchester.

O LP cheio tem 11 faixas inéditas, tendo no meio as já famosas e bem tocadas “Leave A Trace”, “Clearest Blue” e “Never Ending Circle”.


“Chvrches – “Every Open Eye” (Track List)

1. “Never Ending Circles”
2. “Leave a Trace”
3. “Keep You on My Side”
4. “Make Them Gold”
5. “Clearest Blue”
6. “High Enough to Carry You Over”
7. “Empty Threat”
8. “Down Side of Me”
9. “Playing Dead”
10. “Bury It”
11. “Afterglow”

Ouça aqui o novo álbum na íntegra :

http://n.pr/1M1VW9N

New Order: dia 25 você tem um encontro com os anos 80

New Order, a banda que foi parida dos restos mortais do Joy Division e que povoou os anos 80 para nunca mais sair da história da música, vai estrear álbum novo.

Dia 25 de setembro será lançado o disco intitulado “Music Complete”, décima peleja da banda nos estúdio pelo mundo afora e primeiro sem o baixista brigão Peter Hook. O álbum sai pela Mute Records.

A encomenda foi preparada com a ajuda de várias personalidades do universo fonográfico de agora e do passado: nomes como Elly Jackson do La Roux, o doidão Iggy Pop e Brandon Flowers do The Killers colaboraram em inúmeras faixas do álbum que tem forte pegada eletrônica dos anos 80, voltando às origens de quando o grupo de Manchester reinava nas paradas de todo o globo.

Visual da capa do novo álbum

Se primeiramente a banda liderada por Bernard Sumner soltou a boa “Restless”, agora é a vez da sensacional “Plastic” que te faz viajar exatamente para uma balada da época em que “Blue Monday” e “True Faith” tocavam até em quermesse de Igreja.

A expectativa então só pode ser boa para que na próxima semana tenhamos o lançamento de um disco de qualidade como há muito tempo o New Order não realizava.

Portanto, tire sua calça Fiorucci do guarda-roupa, deixe crescer novamente seus mullets e caia na dança com a nova música da banda de synthpop e rock eletrônico que nunca deveria parar de lançar coisas novas já que ainda tem tanto para mostrar às novas gerações.

“Plastic”


Tem coisa nova de Lana Del Rey saindo hoje

Lana Del Rey não para nunca!

“Honeymoon” é o novo disco da moça nova iorquina que saiu para o mundo e muito do que está nele já estava por aí sendo ouvido pelos serviços de Streaming ou no Youtube.

A bolacha sai hoje oficialmente (18), mas desde ontem você já podia ouvi-lo se procurasse com mais afinco pela internet.

E a menina adiantou nesta última semana que em 2016 terá novo trabalho de estúdio, este com mais colaborações de gente descolada do mundo da música, tanto na parte instrumental e de composição quanto na questão da produção.

A cantora deu a declaração para a revista “Interview” na qual estampa a capa na edição de outubro.

“Para o meu próximo disco, eu planejo me abrir um pouco mais e trabalhar com outras pessoas”, contou a americana.

Além disso, ainda fez um ensaio fotográfico para a publicação para os marmanjos ficarem babando.

Para o disco de agora, canções como o single “High By The Ocean” e as e as promocionais “Terrence Loves You”, “Music To Watch Boys To e “Salvatore” já eram conhecidas pelo público cativo da menina.

Portanto, sem muitas delongas, veja abaixo o track list completo do álbum que sucede o bom “Ultraviolence” de 2014 e ouça algumas das faixas logo depois.


Lana Del Rey “Honeymoon” (tracklist)

1. “Honeymoon”
2. “Music To Watch Boys To”
3. “Terrence Loves You”
4. “God Knows I Tried”
5. “High By The Beach”
6. “Freak”
7. “Art Deco”
8. “Burnt Norton (Interlude)”
9. “Religion”
10. “Salvatore”
11. “The Blackest Day”
12. “24″
13. “Swan Song”
14. “Don’t Let Me Be Misunderstood”


Freak


Art Deco 


Salvatore