Para não ficarmos atrás: Alvvays nem é tão novo, mas veio para ficar

 

A banda faz um indie pop que caminha para o dream pop com suas nuances ambientais de guitarras tranquilas e bem cadenciadas e se aprofunda numa sonoridade mais oitentista vez ou outra por pesar mais suas linhas de baixo. Todos vêm das profundezas canadenses de Toronto e formaram o Alvvays em 2011.

De lá para cá a vocalista Molly Rankin, o tecladista Kerri MacLellan, o guitarrista Alec O’Hanley, o baixista Brian Murphy e o baterista Phil MacIsaac  só tiveram tempo de lançar o primeiro álbum, “Alvvays”, de 2014.

Alguns críticos chegaram a citar o Alvvays como jangle pop, mas Rankin prefere dar ênfase ao fato de a banda focar em melodias fortes, ao invés de se basear num gênero específico. Ela diz que “se as pessoas velhas perguntarem, eu digo que parece com Cranberries, mas se os jovens questionarem posso chamar nosso som de jangle pop. Porém, se um punk vem até mim eu digo que é simplesmente pop”.

Entretanto, pode-se aceitar que o estilo destes canadenses é muito mais do que isso.

Os membros do grupo já citaram sua apreciação do trabalho de composição de Stephen Merritt, vocalista dos Magnetic Fields, por causa de sua natureza honesta, porém alegre das letras, mas as influências pessoais da vocalista como o Teenage Fanclub, Dolly Mixture, The Smiths, Pavement e até mesmo Oasis podem ser percebidas nas entrelinhas de suas canções.

Além disso, há também suaves tons da música celta não só na atmosfera soada pelos instrumentos tanto quanto pela voz da garota loira. Ela explica que isso se dá por causa de uma infância imersa nessa cultura e na maneira como isso a fez escrever certas melodias.

A vida tem ficado mais agitada para o grupo, pois desde dois anos atrás os shows têm tomado mais espaço deles.

O boom maior veio após a participação no evento SXSW e o fervor via internet que ocorreu por causa da faixa “Adult Diversion”. Simon Vozick-Levinson, jornalista da Rolling Stone americana, chamou o debut do Alvvays de “maravilha indie-pop” e o grupo foi parar no número 1 das paradas universitários americanos em 5 de agosto de 2014.

Capa do primeiro disco do grupo

As excursões ao redor do país natal e dos E.U.A. começaram a ficar mais intensas e regulares, o que culminou num convite para tocar no famoso festival inglês de Glastonbury 2015.

A notícia que chega atualmente é que o Alvvays está se preparando para forjar um novo álbum ainda em 2016, já que algumas canções têm sido usadas inclusive em apresentações ao vivo. São os casos de “Your Type” que normalmente abre os shows, “New Haircut”, “Hey” e “Not My Baby”.

Nestes mesmos shows há a frequência de alguns covers como “She’s On The Beach” de Kirsty MacColl, “Lloyd, I’m Ready to be Heartbroken” do Camera Obscura, “Alimony” do The Hummingbirds e Nosebleed” do Deerhunter que ajudam a decifrar um pouco mais do que faz cabeça de seus integrantes.

Portanto, fique de olhos e ouvidos bem abertos: o Alvvays veio para ficar.


Apresentação completa do Alvvays no Glastonbury 2015

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s