Literatura Cubana: você tem que conhecê-la!

Há sempre algo novo a buscar na cultura.

Quando falamos de literatura o processo não necessariamente precisa se tratar de alguma coisa recente, mas normalmente desconhecida do grande público.

No que tange à literatura latino-americana então há uma infindável gama de bons exemplos não só na atualidade como também em tempos anteriores que passou bem longe de nosso conhecimento.

Ao realizar uma pesquisa um pouco mais qualificada se percebe também que alguns países têm uma riqueza tão poderosa de autores emblemáticos, críticos, inteligentes e criativos que não podemos deixá-los de fora da vida daqueles que amam a literatura.

Feito este preâmbulo urge ressaltar que o objetivo principal deste post não é somente exaltar a literatura cubana, mas cabe igualmente fazer menção à diversidade de ideias e formar de pensar dentro da cultura artística daquele país.

E é importante as pessoas pararem de achar que Cuba se resume apenas em Fidel Castro e sua família, para o bem ou para o mal.

Talvez o isolamento que a localidade caribenha tenha sofrido todos esses anos tenha contribuído e muito para não termos tido acesso a boa parte de suas obras literárias, mas o fato de também não conhecermos bons livros advindos da Nicarágua, Porto Rico ou Barbados quer dizer que talvez o problema seja muito maior do que este.

Tal situação tem a ver mais com a força do imperialismo cultural americano, a servidão ao continente europeu e o privilégio para sua cultura.

Desta forma, coube ao blog apenas citar dez autores cubanos para serem mais bem aproveitados por nós aqui no Brasil ou onde quer que estejamos, já que a literatura boa ése torna universal.


Leonardo Padura

O escritor Leonardo Padura é formado em Letras e trabalhou como escritor, jornalista e crítico literário até a década de 1990. Foi nesta época que ganhou reconhecimento por uma série de romances policiais com seu mais famoso personagem, o detetive Mario Conde. Porém, com o livro “O Homem que amava os cachorros” o autor se consolidou no circuito literário mundial tendo recebido inclusive alguns prêmios internacionais, dentre os quais o Prêmio Princesa das Astúrias 2015, alta comenda em língua espanhola.


 

Alejo Carpentier

Alejo Carpentier Valmont nasceu em Lausanne, pequena cidade do interior do país caribenho. Foi escritor e contista de histórias que influenciaram muito a literatura latino-americana durante o seu período de boom do meio do século XX. Para a crítica especializada é considerado um dos principais escritores do período quando se fala na língua espanhola e um dos arquitetos da renovação literária latino-americana, particularmente através de um estilo que incorpora várias dimensões e aspectos da imaginação para recriar a realidade, elementos estes contribuíram para a sua formação e utilização do realismo fantástico.


 

 

Zoé Valdéz

Esta escritora cubana estudou na Faculdade de Teologia da Universidade de Havana, mas abandonou o curso no segundo período. De 1984 a 1988, fez parte da Delegação de Cuba na UNESCO em Paris, e da Oficina Cultural da Missão de Cuba em Paris. Posteriormente, atuou na revista Cine Cubano, de 1990 até 1995, quando abandonou a ilha natal para se radicar em Paris. Até hoje vive com a família na França. “O Nada Cotidiano”, “A Eternidade do Instante” e “Te Dei a Vida Inteira” estão entre suas principais obras.


Italo Calvino

É óbvio que haverá pessoas que jurarão de pés juntos que este escritor é italiano, mas se trata de um equívoco, pois ele nasceu em Santiago de las Vegas, em Cuba, no dia 15 de outubro de 1923. Por ser filho de pais italianos e por ter ido bem pequeno para a Itália, ele é, hoje, considerado mais italiano do que cubano. Sua primeira obra publicada foi  “A Trilha dos Ninhos de Aranha”, mas a mais afamada é “As Cidades Invisíveis” Trata-se, sem sombra de dúvida, de um dos maiores destaques da literatura cubana.


José Lezama Lima

José Lezama Lima foi um romancista, ensaísta e poeta cubano considerado uma das figuras mais influentes da literatura latino-americana. Além dos seus poemas e romances, Lezama também escreveu diversos ensaios sobre figuras da literatura mundial como Mallarmé, Paul Valéry, Góngora e Rimbaud, bem como sobre a estética barroca Latino-Americana. Muito notável são também os seus ensaios publicados como La –expresión americana, descrevendo a sua visão do barroco europeu, a sua relação com os clássicos e com o barroco Americano.


Wendy Guerra 

Publicou os seus primeiros textos ainda na infância e participou da oficina de escrita do colombiano Gabriel García Márquez. Já na idade adulta venceu diversos prêmios importantes em Cuba, na Espanha e na França tendo ficado conhecido através das obras “Todos se vão”, “Nunca fui Primeira-Dama” e “Posar Nua em Havana”. Também esteve em 2011 no Brasil para a Flip – Festa Literária Internacional de Paraty – e causou furor no público presente por causa de sua personalidade marcante.


Guilhermo Cabrera

Guillermo Cabrera Infante foi um escritor cubano que acabou por se naturalizar britânico. Além de ser romancista, contista e ensaísta, escreveu poemas visuais e roteiros cinematográficos. Após romper com Fidel Castro ainda na década de 60 foi para Bruxelas, onde viveu até sua morte, em 2005. Destacam-se de sua obra “A Ninfa Inconstante”, “Fumaça Pura” e “Delito por Dançar o Chá-Chá-Chá”.


Pedro Juan Gutierrez

Mais conhecido como escritor de uma literatura “suja”, Gutiérrez também pintor e jornalista. Na atualidade é reconhecido como um dos melhores cronistas da nova literatura narrativa cubana. Entre seus trabalhos estão a famosa “Trilogia Suja de Havana” e “O Rei de Havana”.


Amir Valle

Amir Valle Ojeda nasceu em Guantánamo. É escritor, crítico literário, jornalista e é considerado uma das vozes essenciais da narrativa cubana e latino-americana de sua geração. Atualmente, ele reside em Berlim, onde dirige OTROLUNES – Revista latino-americano da Cultura , que ele fundou em 2007, juntamente com o colega escritor cubano Ladislao Aguado. Ainda em Cuba foi laureado com vários prêmios “El Premio 13 de marzo de Cuento” em 1986, “UNEAC de Testimonio” em 1988 e o “Razón de Ser de Novela” em 1999.


Reinaldo Arenas

Este escritor cubano de poesia, novelas e teatro passou grande parte da sua vida combatendo o governo e a política de Fidel Castro se tornando um dos grandes inimigos do regime. Tentou durante a década de 70 se exilar, mas não obteve sucesso. Após a autorização de saída de todos os homossexuais e de outras persona non grata, o autor pôde deixar o país e foi para Nova York ja na década seguinte. A sua autobiografia “Antes que Anoiteça” fez tanto sucesso que virou filme em 2000, com Javier Bardem fazendo o papel principal. Duas de suas obras famosas são “O Mundo Alucinante” e “O Porteiro”.

Anúncios

2 comentários em “Literatura Cubana: você tem que conhecê-la!

  1. Cris Campos disse:

    Há sempre o novo na literatura quando o olhar torna-se mais atento. A música cubana é de igual modo fascinante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s