Aguardando o Popload Festival chegar: O que é o Battles?

Resultado de imagem para battles

 

Não adianta falar deste trio (antes quarteto) novaiorquino sem descrever sua atividade como algo extremamente multisensorial.

Os caras fazem um misto de eletro-prog-rock que se aproveita das peripécias técnicas de seus integrantes,do uso de sintetizadores e da influência do Free Jazz para produzir uma música que pode ser bem acessível ou muito esquisita dentro da mesma faixa.

A sinestesia conseguida através da visualização da ação dos meninos é imediata: basta ver algum vídeo-clipe deles como “Ice Cream”, “Atlas” ou “The Yabba” para perceber que aquilo visto em tela ajuda na experiência de agrupar os sentidos da audição, visão e um processo mental bagunçado tudo numa mesma panela.

O Battles pode figurar naquela prateleira de grupos incompreendidos na cena mundial musical para alguns, mas consegue ainda assim uma leva de fãs que conseguem curtir da melhor maneira possível seus shows esquizofrênicos e imperdíveis.

Pois é esta banda uma das atrações da 4º Edição da Popload Festival que neste ano acontecerá dia 08/10 no Urban Stage, nova casa de apresentações musicais de São Paulo.

Se há certeza de que a plateia estará lá para se empolgar com a enérgica apresentação da dupla Barat-Doherty do Libertines ou viajar com a delícia de show do Wilco será interessante perceber qual será a reação de todos com as loucuras instrumentais de Ian Williams na guitarra, John Stanier na bateria e Dave Konopka se deslocando entre sintetizadores e teclados que vão da experimentação pura e simples ao peso de guitarra e bateria muito bem condensados em poucos segundos.

A parte visual do show deve ser um ponto fora da curva já que são elas que ajudam a te manter focado em tudo aquilo que acontece ao mesmo tempo, mesmo que sejam tão poucos caras fazendo aquele som todo de uma vez só.

Essa pegada mais forte deles talvez venha da atuação pregressa de seu baterista que trabalhou na Hard Core Helmet e faz projeto junto com Mike Patton no Tomahawk, mas a sincronia com que todos os três trabalham no palco já foi chamada de Math Rock, conceito que tenta traduzir a musicalidade do grupo através da perfeição matemática.

Portanto, vá com a mente aberta para receber coisa nova se chegar antes dos shows finais da noite e quiser ser inundado por esse som desconsertante deles.


Abaixo, alguns exemplos do que pode ser visto durante o show do Battles em São Paulo:

 

Battles – My Machines (feat Gary Numan)

 


 

Battles – Rolls Royce (Hudson Mohawke Remix)

 

 


 

Battles – Ice Cream 

 


 

Battles – The Yabba

 

 


 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s