Oficina de Slam com a poeta Monique Martins

thumbnail (7)

 

Hoje (17) no período da manhã houve a oficina de poesia com a poeta Monique Martins que tinha como objetivo preparar e organizar os alunos e alunas para o Slam Interclasses da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior com vistas à final do Slam Interescolar que ocorre em Novembro próximo.

Com data já marcada para a segunda semana de Outubro a atividade de Slam do Riva está com os preparativos bem adiantados e com os meninos e meninas bem empolgados já que seus textos estão tomando forma e os temas estão sendo aprofundados.

De posse de sentimento e força de vontade os adolescentes da comunidade do Jd. Nove de Julho foram presenteados com uma performance cheia de paixão por parte da atriz Monique Martins e seus exercícios de respiração e entonação de voz auxiliaram muito a todos.

Além disso, a oficina foi muito propícia para atividades de escrita e ação para uma aprendizagem de como iniciar um poema. Os alunos e alunas tiveram a chance de exteriorizar seus anseios e frustrações e colocaram no papel aquilo que acreditam e sentem afeto.

Por último, foi importante também a apresentação de alguns poemas por parte dos estudantes para se sentirem mais fortalecidos no processo de fala em público e isso também foi bastante benéfico para sua autoestima.

No final, a poeta ainda conversou bastante com alguns membros da comunidade escolar e muitas ideias surgiram daí.

Veja abaixo, algumas das imagens deste encontro:

 

 


 

 

Anúncios

Imprensa Jovem entrevista participantes do Slam do Riva

thumbnail (20)

 

Ontem durante a abertura dos Seminários Regionais de Direitos Humanos chamou à  atenção o trabalho interessante e diverso dos meninos e meninas da Imprensa Jovem da EMEF Lourenço Filho.

Sob a coordenação da professora Newci e a colaboração das meninas Julia, Laura, Rayanne e Clara o trabalho jornalístico foi notado por todos e todas e o empenho e seriedade do grupo foi presenciado de perto.

Posteriormente à ação do Slam do Riva os meninos e meninas da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior e da EMEF Claudio Manoel da Costa foram chamados para dar uma entrevista e atenderam ao pedido imediatamente.

A cobertura jornalística completa será mostrada aqui em breve através de link para o trabalho da Imprensa Jovem, mas as fotos da entrevista já podem ser vistos aqui:

 

 


 

A participação do Slam do Riva no Seminário de Direitos Humanos

Assim como já falado no post anterior ontem foi a abertura dos Seminários Regionais de Direitos Humanos promovido pela Secretaria Municipal de Educação do Município de São Paulo e, além da palestra do professor Mario Sergio Cortella que abrilhantou o evento, também tivemos a participação dos meninos e meninas do Slam do Riva e a participação especial da aluna Marina (ganhadora do Slam Interescolar do ano passado) da EMEF Claudio Manoel da Costa.

A atividade teve a mediação do professor coordenador da Comissão de Mediação de Conflito da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior e orientador da Sala de Leitura daquela escola.

Foi mostrada à plateia como funciona a atividade de Slam e o processo para trabalhar com os adolescentes a cultura de Batalha de Poesia na escola.

Além disso, foi importante ver a garotada tendo protagonismo na atividade comunitária e tendo a oportunidade de falar sobre coisas que sentem e se preocupam em situações externas como Meio-Ambiente, Direitos Humanos e questões sociais em geral e sentimentos internos como amor, depressão, ansiedade e estresse.

O Slam Interescolar terá sua 5ª edição neste ano e as escolas inscritas já estão realizando suas competições dentro de suas unidades.

Veja abaixo, algumas das imagens da ação cultural realizada ontem na Uninove Memorial da América Latina:

 

 


 

Educação em Direitos Humanos e Mediação de Conflito: veja a entrevista com Celinha Nascimento e Dhiancarlo Miranda

ee7c4eb6-5bfc-4b2e-a7cf-a0fe09cecd61

 

Acontece na próxima segunda-feira (16) a abertura dos Seminários Regionais sobre Direitos Humanos do Projeto Respeitar é Preciso do Instituto Vladimir Herzog que terá em seu primeiro dia a presença do filósofo da educação Mario Sergio Cortella.

No mesmo dia também ocorrerá a apresentação de meninos e meninas da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior e da EMEF Claudio Manoel da Costa com a perfomance de Slam Poetry.

Este, aliás, é um projeto que tem ocorrido muito nas escolas da periferia de São Paulo e muito se dá por conta do papel preponderante de professores, coordenadores e gestores na atuação com a mediação de conflito nas unidades escolares.

É por meio dessa ação que visa ouvir os alunos e alunas sobre suas neuras e problemas geradores de situações de conflito dentro e fora da sala de aula que pode-se trabalhar a questão dos direitos humanos e fazer com que os jovens entendam em que mundo estão inseridos.

Mais ainda, é por meio disso que uma luta conjunta começa a ser promovida nos confins da cidade pelos direitos que são confiscados todos os dias quando essa galera jovem acorda.

Dentro deste contexto, aconteceu hoje na Rádio Brasil Atual (98,9 FM) uma entrevista com a formadora do núcleo educativo do instituto Respeitar é Preciso, Celinha Nascimento, e com o professor Dhiancarlo Miranda, responsável pelo projeto de Slam na EMEF Professor Rivadávia Marques Junior e membro da comissão de mediação de conflito daquela unidade escolar.

Na entrevista não só se falou sobre os seminários que estão por vir, mas também sobre o papel do educador numa era em que problemas externos e internos tomam de assalto os corações e mentes desse público jovem.

Veja a entrevista na íntegra logo aqui abaixo:

 

 


 

Atividades de preparação para o Slam do Riva

 

Já foram iniciadas as ações para a Batalha de Poesia do Riva que ocorrerá neste ano no mês de Outubro.

Os preparativos estão a pleno vapor, as rimas estão ganhando corpo, os poetas já treinam bastante suas apresentações e muita coisa ainda virá.

Abaixo, veja algumas imagens desses preparativos na Sala de Leitura Cora Coralina:

 

 


 

Mediação de Leitura com a EMEI Cecília Meirelles

Como em todos os últimos anos novamente os alunos mediadores da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior iniciaram sob a supervisão do professor Dhiancarlo Miranda da Sala de Leitura a atividade de mediação com os alunos e alunas da EMEI Cecília Meirelles.

 

O projeto tem como objetivo principal incentivar as crianças a adentrarem no mundo da leitura e da literatura universal e entenderem a importância da audição e da contação de histórias para a cultura popular nacional.

 

Haverá inúmeras outras visitas até o final do ano de 2019, mas já temos registros de como começou esta ação que é tão agradável para alunos, alunas e professores, tanto para quem está fazendo como para também aqueles que estão apenas como espectadores.

 

Veja abaixo várias fotos da atividade:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

The Dip: Seattle não vive só de porradaria

Resultado de imagem para the dip seattle

 

Cidade americana conhecida principalmente como berço do Grunge nos EUA, mas também local de efervescência cultural que lida com uma galera pesada do rock contemporâneo, Seattle é hoje mais conhecida pelo apreço por cultura, pelo gelo de suas ruas e pela KEXP, rádio universitária que dá uma moral para a maioria dos artistas locais.

Neste contexto, é de se comemorar a possibilidade de ver gente dos mais diversos gêneros musicais fazendo sucesso ou tendo a possibilidade de chegar a ele com suas intervenções através das ondas do FM da estação gerida pela Universidade de Washington.

Um desses exemplos é The Dip, septeto advindo da própria Seattle, que destila um som que pode fazer o ouvinte viajar décadas para chegar nos anos 60 enquanto pesca uma ou outra pitada mais eclética em seus acordes.

A banda promove um encontro entre o soul e o blues daquela época de ouro musical enquanto bebe também na fonte de artistas da atualidade.

O sabor de suas canções é bem desenvolvido por meio de uma dupla de metais (trompete e sax) que varia e balança com o baixo pesado enquanto a guitarra não busca atenção além do necessário. A bateria faz sua função de forma magistral e o vocal possui elementos tanto de cinquenta anos atrás quanto da malemolência que muitos cantores buscam hoje em dia.

A apresentação do grupo nos estúdios da KEXP FM está disponível para quem quiser ver e ouvir tanto na própria plataforma da rádio por meio de aplicativo, site próprio ou mesmo pelo Youtube.

Abaixo, veja uma parte do pocket show do The Dip: