Encontro de Escolas de Tempo Integral: o Slam do Riva também deu show lá

a303182e-ecca-4722-8497-1219a5ae4745

 

Aconteceu na última quarta-feira (30) o Seminário “Educação Integral: Ampliando Possibilidades e Conhecimentos” promovido pela DRE São Mateus em que representantes das escolas de tempo integral da região puderam apresentar suas atividades e palestrantes realizaram conversas sobre o tema.

Também nessa ação houve a participação de professores e estudantes que fazem algum projeto dentro ou fora da escola em tempo integral que promova o protagonismo juvenil e transforme o ambiente educacional num local de ensino-aprendizagem para a vida e para o social. Atividades com cunho voltado principalmente à educação em direitos humanos foram percebidas como uma centralidade nesses movimentos mostrados pelos seus organizadores.

Sendo assim, é claro que o nosso Slam do Riva estaria presente, pois esta ação da Sala de Leitura Cora Coralina da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior pretende ser um fio condutor das preocupações dos meninos e meninas com sua condição humana e de seus anseios e desejos na vida social atual com vistas a mudar para melhor não só sua própria situação como a do país e do mundo.

Pensando assim, tanto os alunos e alunas do projeto organizado pelo professor Dhiancarlo Miranda quanto os seus colaboradores juvenis tiveram a preocupação de trazer para a apresentação do grupo poesias que tivessem a ver com áreas sociais de interesse coletivo nos direitos humanos (meio-ambiente, direitos da mulher e dos negros, políticas públicas) como também temas ligados às doenças sociais do momento (depressão, ansiedade).

Além dessa atividade apresentada pela galera do Slam do Riva também houve linda demonstração de ação inclusiva com o Circo da EMEF Professora Candida Dora Pino Pretini (que trabalha com alunos surdos e não-surdos) e palestras da professora Maura Casari sobre sua atuação como POEI (professora orientadora de escola integral) e da professora Telma Maris Ribeiro sobre sua gestão do grupo NAAPA da DRE São Mateus e um bate-papo com gestores de escolas que já adotaram o tempo integral em suas unidades.

Veja abaixo algumas imagens do evento:

 

 


 

Final do IV Slam do Riva: veja as fotos deste grande evento

294df03c-d7a1-4704-a7b7-cb9ad34ad709

 

Aconteceu no último dia 21/10 a grande final do IV Slam do Riva, batalha de poesia que é organizada pela Sala de Leitura Cora Coralina da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior.

Com presença da poetisa Monique Martins e de representantes da DRE São Mateus, a atividade teve a participação de 23 poetas meninos e meninas que fizeram oficinas, audições e inúmeros outros procedimentos ao longo do ano com o professor Dhiancarlo Miranda para se apoderarem de temas ligados aos direitos humanos e com relação à rima e à poética como um todo.

As apresentações foram muito dinâmicas e notou-se a grande qualidade dos textos na boca das alunas e alunos em consonância com o ritmo sonoro bem próximo do hip hop e do funk.

A grande vencedora do ano foi a aluna Sarah Morais Iani do 9º Ano C com Lucas Darc do 8º Ano B em segundo lugar. Ambos serão representantes do V Slam Interescolar que ocorrerá dia 13/11 no Instituto Ruth Cardoso.

Veja abaixo, algumas das imagens da ação:

 

 


 

Batalha de Poesia com os pequenos. Aqui também tem

1ad1e779-9bcb-4cb9-a7cf-7a2fa6e476b5

No último dia 17/10 uma prévia da batalha de poesia da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior.

O Slam do Riva como é chamada a ação é parte integrante dos projetos realizados pela Sala de Leitura Cora Coralina e tem a intenção de não só criar a cultura da escrita e da leitura na vida dos alunos e alunas como também estabelecer um diálogo com assuntos e temas caros à nossa sociedade.

O tema principal que tem sido base para muito do projeto promovido pela sala de leitura é a educação em direitos humanos e isso tem se traduzido nas poesias produzidas dentro da escola.

Na data da prévia tivemos como espectadores os meninos e meninas dos 4ºs e 5ºs Anos do Ensino Fundamental no período da tarde. Como eles ainda não competem na batalha então se estabeleceu que podiam aprender um pouco sobre a dinâmica sendo presenteados pela apresentação dos alunos e alunas maiores.

Não podia ter dado mais certo, a atividade foi um sucesso e a ideia é ter mais edições no período da tarde para que todos sejam agraciados por este evento tão importante e bonito.

Veja abaixo algumas fotos:


 

Atividades de preparação para o Slam do Riva

 

Já foram iniciadas as ações para a Batalha de Poesia do Riva que ocorrerá neste ano no mês de Outubro.

Os preparativos estão a pleno vapor, as rimas estão ganhando corpo, os poetas já treinam bastante suas apresentações e muita coisa ainda virá.

Abaixo, veja algumas imagens desses preparativos na Sala de Leitura Cora Coralina:

 

 


 

Preparativos para a 3ª Edição da Batalha de Poesia do Riva

 

São vários os inscritos e muita a torcida por eles. Depois de duas edições de muito sucesso a Batalha de Poesia em nossa escola chega ao terceiro ano consecutivo de bastante sucesso.

O Slam do Riva, como foi apelidado, tem força não só por conta da qualidade das poesias que abordam temas relevantes e necessários para a discussão dentro e fora da sala de aula, mas também pelo empenho com que os alunos e alunas fazem dessa atividade algo extremamente para quebrarem barreiras de preconceito, timidez e outras situações que dificultam sua participação.

Todos vencem seus medos, todos conseguem passar por cima dos problemas e fazem dessa ação desenvolvida pela sala de leitura da escola um fortalecimento e amadurecimento de suas vidas.

A EMEF Professor Rivadávia Marques Junior irá realizar no dia 11/10 às 9 horas sua final de 2018 e a ansiedade já tomou conta de todos. Os ensaios já estão a todo vapor e aqui abaixo você pode conferir algumas dessas imagens.

 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 


 

 

Preparação para a batalha de poesia com declamação de poemas. Também tem isso no Riva!

20170524_101318[1]

A escola não pode parar e os projetos que envolvem os alunos também não.

É nesse processo incessante e corrido que tanto professores quanto alunos se inserem e se auxiliam mutuamente.

Desse modo, é importante que as atividades que existem durante o ano letivo tenham preparo e organização. Uma prova disso é que a segunda edição da batalha de poesias da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior já está em gestação.

O professor Dhiancarlo Miranda, organizador do projeto e orientador da Sala de Leitura Cora Coralina já promove atividades com os alunos-mediadores para que no segundo semestre, momento no qual haverá a atividade, tudo já esteja bem afinado.

Para que isso aconteça muitas parcerias têm de ser feitas e professoras como a titular de Língua Portuguesa Mariangela Jacob são primordiais para o sucesso de um evento como esse e outros.

Ela desenvolve atualmente uma ação com os alunos acerca da literatura poética e como isso tem tudo a ver com a batalha que se avizinha daqui a alguns meses calhou de as ações se cruzarem.

Neste primeiro momento a ideia é fazer com que os alunos declamem poesias com algum tema específico pré-definido pela professora. No caso em questão o assunto promovido é a “rua que eu quero ter quando crescer” que envolve não só perspectiva social, mas também profissional dos alunos.

Desse modo, a qualidade do trabalho da professora Mariangela, sem querer, auxilia o trabalho do professor Dhiancarlo, para que através dessa interdisciplinaridade possamos preparar os meninos e meninas não só para a batalha de poesia, mas também para uma visão mais crítica da sociedade e da vida coletiva como um todo.

Veja abaixo algumas imagens da atividade acontecida semana passada:

Slam de Poesias Interescolar de São Paulo. Precisa dizer que o Riva está lá?

A Batalha de Poesia do Riva foi um sucesso na semana passada, mas o melhor ainda estava por vir.

Hoje está sendo realizado o Slam Interescolar de São Paulo. São 21 escolas que chegaram até a grande final que é realizada no CCSP (Centro Cultural São Paulo) na região central da cidade.

Cada uma das unidades escolares participantes possui dois representantes que foram escolhidos suas prévias e a qualidade dos textos é impressionante.
Além disso, há muita contribuição da performance teatral da grande maioria dos competidores aqui presentes.

De nosso colégio vieram mais vinte alunos para fazer parte da torcida pela Fernanda Orçati e Mirella Oliveira, as meninas finalistas do torneio de poesia.

A disputa ainda chegará à semifinal e final, mas até aqui todos são vencedores é o sentimento de alegria toma conta de todos.

É óbvio que o teor político dos poemas produzidos é forte e o descontentamento com questões partidárias e o governo em geral se torna algo gritante, mas a questão social de uma maneira mais contundente tem sido uma fala repetida por todos os meninos e meninas.

Dessa forma, acaba pé ser um alento saber disso num momento tão sombrio quanto o que vivemos atualmente no mundo é no Brasil em especial.

Outros Slans irão acontecer, mas esse início é muito animador para professores, organizadores e alunos.

Veja abaixo algumas fotos do evento: