A história real que inspirou “O Exorcista”

Todo mundo já tomou alguns sustos ou teve dificuldade para dormir após assistir ao clássico do terror “O Exorcista” de William Friedkin.

Mas será que você teria a mesma reação se soubesse que muito do que acontece no filme, que por sua vez foi adaptado do livro de mesmo nome de William Peter Blatty, é inspirado numa situação real?

Naquele ano de 1973 o mundo foi tomado por um fenômeno absurdo de gente lotando salas de cinema, com uma grande quantidade passando mal após a exibição da película americana.

Cena do filme de 1973

Fora isso, ainda há uma centena de relatos sobre mortes ocorridas durante a produção do longa (muitas verdadeiras) ou de pessoas que teriam tido problemas ao assistir ao filme (a maioria inverídica).

Porém, se a ficção consegue ser tão amedrontadora tente pensar se aquilo tudo contido em cena fosse real.

Mesmo com tantos mitos em torno da produção cinematográfica poucos sabem que tudo aquilo que envolve a história de Regan McNiel não saiu apenas da cabeça do escritor Blatty, mas de uma pesquisa profunda que ele realizou de um caso real ocorrido em 1949.

Os fenômenos por trás dessa situação sombria e tudo o que envolve essa história estão no livro “Exorcismo” de Thomas B. Allen (DarkSide Books – Nova Edição de 2016) tendo sido lançado originalmente em 1993.

Apesar dos clichês desse gênero literário contidos em frases como “há coisas que a ciência não consegue explicar” o livro deste jornalista e historiador americano ganha pela soma de detalhes acerca do caso de Robert Mannheim, um jovem norte-americano de 14 anos que gostava de brincar com sua tábua ouija, presente que havia ganhado da tia dele. A tal parente achava ser possível se comunicar com os mortos e isso provavelmente tornou o rapaz suscetível a essas questões.

Allen recebeu como contribuição precisa para sua pesquisa o acesso ao diário de um padre jesuíta chamado Walter Halloran que auxiliou o exorcista a fazer a tal atividade em Mannheim. O nome do padre responsável pela parte mais complexa da ação era William S. Bowdern.

O que tem sido falado por aí é que a obra de Allen o mais completo relato de um exorcismo realizado pela Igreja Católica desde o período medieval.

Até mesmo os investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren (famosos por terem sido retratados no filme “Invocação do Mal” e Invocação do Mal 2″) teceram à época do lançamento do livro nos EUA bons comentários sobre o estudo de Thomas B. Allen.

“Um documento fascinante e imparcial sobre a luta diária entre o bem e o mal” teria dito Ed.

A edição que sai agora pela DarkSide Books é toda trabalhada em papel especial e capa dura com um padrão qualitativo dos mais elogiosos realizado pela editora. Além disso, ele vem junto com uma reprodução da tábua Ouija que pode ser jogada (se você tiver coragem) usando o próprio marcador de páginas.

Num momento em que os filmes de terror ganham um novo respiro com obras de qualidade nada como se aprofundar no gênero e nos meandros de situações que militam entre o sobrenatural e o poder da suscetibilidade da mente humana.

Um bom achado, ainda mais se visualizarmos o cuidado com que foi realizada a pesquisa e o quanto ela foi interessante para duas obras perfeitas da cultura pop mundial como o livro e o filme “O Exorcista”.

Imagem do Livro


Anúncios