Beba uma dose de Angel Olsen para melhorar seu dia

Resultado de imagem para angel olsen pitchfork festival 2017

 

Está disponível no Youtube e em outras plataformas de vídeos mundo afora um show da cantora americana Angel Olsen em Chicago durante o Pitchfork Festival em 15 de Julho passado no Union Park.

É uma grande oportunidade para que aqueles e aquelas que ainda não conhecem nossa nova queridinha do mundo indie tenham o prazer de vê-la em ação no palco.

Angel fez apenas um dos melhores discos do ano passado (MyWoman) e tem total poder de sua guitarra, de sua voz que flutua entre o grave e o mais profundo e o singelo vocal em temas que vão desde o relacionamento conflituoso até a experiência depressiva da solidão.

A parte instrumental também é muito bem executada com uma banda que manda bem tanto no estúdio quanto em apresentações ao vivo, além de promover bons toques de indie folk, country rock e indie rock mais cru. As baladas mais lentas também são ponto forte.

A apresentação da garota do Missouri ocorreu numa tarde de sol na cidade de Obama e Al Capone e teve um público hipnotizado pelo carisma de Angel e de seu apoio instrumental que ambienta o show de uma forma muito natural e bem feita.

Ouça, veja, aprecie a beleza e sinta os vários sentimentos que advêm de uma apresentação de Angel Olsen logo abaixo no vídeo disponível no blog.

 

 


 

Anúncios

Angel Olsen: temos uma nova queridinha da América

Resultado de imagem para angel olsen notícias

Apesar de já ter atuação no mundo da música americana desde 2009 perfazendo quase oito anos de carreira a moça vem aparecendo mais para o showbiz mundial nos últimos dois anos.

Angel Olsen é uma bela moça oriunda de St Louis de grandes olhos verdes e cabelos castanhos que tem n a guitarra uma de suas paixões, mas que faz apaixonar a todos por causa de sua voz soturna que vagueia entre o agudo e o grave com bastante facilidade.

Ela foi adotada quando tinha apenas três anos por uma família de Asheville, Carolina do Norte e o trauma de não conhecer os pais biológicos a acompanhou por um tempo e a fez ser uma adolescente introvertida. Mas foi no meio dessa fase que ela descobriu o Punk Rock e os shows musicais da escola que trouxeram a chance da menina se soltar e encontrar seu próprio universo de interesse.

Antes de ter o sucesso todo de hoje em dia com a carreira solo a cantora participou sazonalmente da banda Bonnie “Prince” Billy and the Cairo Gang, mas foi com o primeiro disco sozinha intitulado “Strange Cacti” (2011) ainda pela Bathetic Records que Angel pôde mostrar toda sua potência vocal. Neste debut há muito da influência Folk americana que tanto caracteriza artistas de sua terra natal, porém se vê muita coisa do Country sendo pintado aqui e ali.

Vem o segundo disco “Half Way Home” (2012) ainda pela mesma gravadora e o Indie Rock se torna mais forte em sua maneira de cantar e tocar violão e guitarra, entretanto se vê muito mais desenvoltura da menina em deixar mais à vista sua potencialidade.

A guinada total acontece com a ida para a Jagjaguwar Records e o lançamento de “Burn Your Fire For No Witness” (2014) que a música de Angel Olsen se torna mais profunda e visceral. A ida a festivais maiores ao redor dos EUA se torna mais intensa e a menininha introvertida demonstra ter se desprendido das correntes traumáticas de sua infância. Muito disso é visualizado através das letras das canções que se tornam autorais e reflexivas ao extremo.

O disco mais recente lançado há pouco mais de dois meses retrata que o amadurecimento artístico de Olsen chegou ao auge e que sua carreira evolui para outros campos vocais e sonoros. “My Woman” (2016) é mais up, mas também é provocativo com relação à própria maneira de Angel se comportar nos discos anteriores. É uma forma saudável da garota do Missouri de buscar novas notas no seu vocal, mas até mesmo a batida mais pop em alguns momentos não destrói a reputação que ela alcançou nesses últimos anos. Podemos, inclusive, considerar que ela flerta com o Dream Pop agora.

Dessa forma, colocar o novo LP  dela entre os melhores produzidos nesse 2016 não é absurdo, tanto é que as principais publicações do meio musical estão fazendo exatamente isso.

Portanto, faça uma playlist que favoreça sua análise da carreira de Angel Olsen da primeira caminhada em estúdio até chegar aos dias atuais. Não só é interessante ver diante dos olhos o crescimento artístico de um músico como também é bonito de se ouvir.


Angel Olsen – My Woman

Resultado de imagem para angel olsen my woman

01 – Intern

02 – Never

03 – Shut Up Kiss Me

04 – Give It Up

05 – Not Gonna Kill You

06 – Heart Shaped Face

07 – Sister

08 – Those Were The Days

09 – Woman

10 – Pops


Shut Up Kiss Me

 


 

Intern

 

 


 

Sister