Projeto sobre alimentação saudável tem continuidade no Riva

img_20190429_112102372_burst000_cover_top9219059962913045183.jpg

 

O mês de Abril foi todo de implantação do projeto sobre alimentação saudável na EMEF Professor Rivadávia Marques Junior.

Houve vários tipos de intervenção como palestras com nutricionistas conceituadas para os professores e professoras, mudança na disposição de mesas e cadeiras no pátio, grafites sobre o tema e ideias e mais ideias sobre como realizar uma alimentação saudável dentro e fora da escola.

Além disso, o que confere uma análise mais crítica à questão é o que tem acontecido com a galera da Sala de Leitura Cora Coralina que realizou uma atividade com a música “Comida” dos Titãs para identificar outras formas de alimentação no nosso dia-a-dia: a alimentação da alma, da mente, do coração e até a alimentação física.

Para provar que os alunos conseguiram perceber que, por exemplo, a leitura e a pesquisa são comida para o cérebro ou que o amor funciona como alimentação para o coração e a alma os alunos fizeram cartazes com partes da letra da canção composta nos anos 80 e colaram no palco do pátio da escola.

Para finalizar o procedimento de análise desta situação também foi lido o poema “O Bicho” de Manuel Bandeira com o intuito de demonstrar o problema da fome no país que volta a crescer a olhos visto ultimamente.

Veja abaixo fotos da atividade:

 

 

 

 


 

Anúncios

Projeto Minha Biblioteca no Riva: veja as fotos

O já antigo projeto Minha Biblioteca teve sua nova edição realizada no dia de hoje na EMEF Professor Rivadávia Marques Junior.

A alegria dos alunos e alunas é indisfarçável ai receberem os livros fornecidos pela prefeitura de São Paulo.

É bom ressaltar que este projeto já havia sido encomendado pela gestão Haddad e foi engavetado pela administração Doria e só foi liberada pelo prefeito atual Bruno Covas.

O investimento não é só financeiro, mas também educativo e cultural e o intuito é que as crianças e adolescentes tomem gosto pela leitura de modo natural e espontâneo com aproximação com o livro.

Não tendo nenhuma ideia com relação a provas ou avaliações (algo que era muito comum em épocas anteriores) a tendência é que os meninos e meninas se sintam menos pressionados a ler por obrigação e façam isso por prazer mesmo.

Agora, o sentimento é de aflição de que tais projetos sejam bloqueados por conta das alterações no MEC (órgão que viabiliza o investimento financeiro) e que seu viés autoritário e de ode à ignorância não contamine atividades e eventos deste porte.

Vamos torcer!

 

2° Slam do Riva: os preparativos já começaram

Desde o mês de Junho, em conjunto com a professora Mariângela Jacob, a Sala de Leitura Cora Coralina da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior tem promovido oficinas de poesia para preparar os alunos para segunda edição do Slam do Riva a ser realizado entre os meses de setembro e outubro próximos.

O intuito dessas oficinas também é de promover debates sobre assuntos importantes ara a vida da comunidade, do Brasil e do mundo e que interferem na vida das crianças e jovens direta ou indiretamente.

Neste momento dos preparativos as salas estão realizando discussões variadas nas quais temas como o papel do governo na sociedade atual, o preconceito, os direitos das mulheres, crianças e adolescentes, a questão das drogas, entre outras situações do nosso cotidiano.

Veja abaixo, alguns momentos de debate entre os alunos através de imagens na sala de leitura.

Projeto Cultura Pop é sucesso total (e olha que só começou)

20170504_094440[1]

A Sala de Leitura Cora Coralina é composta das aulas regulares semanais, mas também é através dos projetos que a atividade é impulsionada,

Gerida por meio de ações que vão desde o preparo dos alunos-mediadores de leitura para fazer tal papel com os alunos menores e que se constitui em promoção da diversidade musical por meio do projeto Rádio, a sala de leitura lançou neste ano um novo desafio com um curso sobre Cultura Pop.

O projeto tem 15 alunos matriculados (e mais alguns na fila de espera) e tem como intuito principal realizar um elo entre a cultura voltada para os jovens que se baseia em HQs, Games, Séries, Filmes, Animes, Mangás e Música e sua relação com a realidade do mundo.

Os alunos participantes têm sido metralhados com conteúdo ligado à cultura pop para que tenham noção onde estão colocando seus pés (e principalmente a mente) para que mais à frente o processo se inverta.

Explicando melhor: a ideia é que os próprios alunos do projeto realizem atividades ligadas a algum dos meios afinados à cultura pop para que no segundo semestre isto seja objeto de uma aula ministrada por cada um deles.

Além disso, o professor Dhiancarlo Miranda tenta vislumbrar alguns passeios com a intenção de mergulhar os alunos cada vez mais neste universo geek e nerd e ainda há a possibilidade de algum evento voltado para a atividade cosplay.

No momento o que há são algumas imagens das aulas que já aconteceram e que demonstram a necessidade de mostrar bastante conteúdo para os meninos e meninas.

Veja abaixo:

Alunos mediadores na EMEI Cecília Meireles – versão 2017

20170530_114837[1]

Já virou um ritual necessário e obrigatório: os alunos-mediadores da Sala de Leitura Cora Coralina da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior realizam atividade de contação de histórias às crianças da EMEI Cecílica Meireles e quem acaba aprendendo mais são os professores que acompanham o projeto.

Neste ano de 2017 a ação permeia leitura com os alunos do ciclo que terá contato com a escola de ensino fundamental já no próximo ano letivo e tudo se inicia com uma conversa com eles com a posterior atividade no próprio chão do colégio.

O professor Dhiancarlo Miranda é o responsável direto pelo projeto, mas nada seria possível se não fosse pela decisiva colaboração das coordenações pedagógicas de cada uma das escolas e pela autorização de ambas as gestões escolares.

Com todo o envolvimento dos alunos jovens com as crianças menores há uma interação salutar e uma aproximação necessária para todos os participantes, além do acompanhamento do professor ficar mais facilitado.

Haverá mais atividade à frente e somente a empolgação de todo mundo que participa já demonstra que, mesmo ainda no começo da empreitada, o movimento é um sucesso total.

Veja abaixo, alguns registros da leitura sendo realizada na EMEI.

Até a próxima!

Vai uma poesia ao pé do ouvido aí?

Ontem, dia 10/05, foi realizada na EMEF Professor Rivadávia Marques Junior a primeira de uma série de atividades culturais neste mês de Maio voltada para o público infantil.

Desta feita a ideia foi convidar os alunos e professores responsáveis pelo projeto “Poesia ao Pé do Ouvido” desenvolvido na EMEF Alceu Amoroso Lima.

Vieram junto com os 17 alunos o professor Rogério e a professora Mara que ministraram palestra sobre a atividade e como foi realizada o projeto dentro do horário escolar.

Após isso, ocorreu um tour pela escola com os alunos participantes da atividade desenvolvendo a leitura para as crianças dos 1ºs, 2ºs, 3ºs e 5ºs anos do ensino fundamental I.

As crianças ficaram maravilhadas pela forma como são lidas as poesias e da maneira como elas chegam aos nossos ouvidos.

Paz, calma e sossego foram algumas das palavras que mais se ouviam após a leitura que os meninos e meninas do projeto faziam como o um cone moldado especialmente para isso.

Com textos de Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade, Mário Quintana, Bertold Brecht, William Shakespeare, entre outros, a ação pode ser realizada tanto para os pequenos quanto para os jovens e ainda há os adultos que se derretem pelos escritos.

Abaixo, algumas fotos da atividade de ontem:

 

 

Leituraço do Riva 2016 – versão 2° semestre

Já virou tradição!
Se no primeiro semestre houve atividade no Sesc Itaquera e também aos sábados com o leituraço da diversidade agora o evento acontece em todos os espaços da escola.
Sob a supervisão da professora orientadora de sala de leitura Regiane Biecco, o leituraço do Riva em sua versão segundo semestre teve a sorte de contar uma ajudinha do tempo neste final de inverno e aconteceu numa tarde de bastante sol.
Os professores, funcionários, colaboradores e alunos-mediadores da manhã também ajudaram a realizar a grande festa de leitura de nossa escola.
Por fim, fica o sentimento de que a cada evento destes os alunos se apaixonam mais pela leitura e os professores se entrosar mais ainda com os estudantes.
Abaixo, veja algumas das imagens durante a leitura simultânea nos inúmeros e diversos locais do colégio.