2° Slam do Riva: os preparativos já começaram

Desde o mês de Junho, em conjunto com a professora Mariângela Jacob, a Sala de Leitura Cora Coralina da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior tem promovido oficinas de poesia para preparar os alunos para segunda edição do Slam do Riva a ser realizado entre os meses de setembro e outubro próximos.

O intuito dessas oficinas também é de promover debates sobre assuntos importantes ara a vida da comunidade, do Brasil e do mundo e que interferem na vida das crianças e jovens direta ou indiretamente.

Neste momento dos preparativos as salas estão realizando discussões variadas nas quais temas como o papel do governo na sociedade atual, o preconceito, os direitos das mulheres, crianças e adolescentes, a questão das drogas, entre outras situações do nosso cotidiano.

Veja abaixo, alguns momentos de debate entre os alunos através de imagens na sala de leitura.

Anúncios

Projeto Cultura Pop é sucesso total (e olha que só começou)

20170504_094440[1]

A Sala de Leitura Cora Coralina é composta das aulas regulares semanais, mas também é através dos projetos que a atividade é impulsionada,

Gerida por meio de ações que vão desde o preparo dos alunos-mediadores de leitura para fazer tal papel com os alunos menores e que se constitui em promoção da diversidade musical por meio do projeto Rádio, a sala de leitura lançou neste ano um novo desafio com um curso sobre Cultura Pop.

O projeto tem 15 alunos matriculados (e mais alguns na fila de espera) e tem como intuito principal realizar um elo entre a cultura voltada para os jovens que se baseia em HQs, Games, Séries, Filmes, Animes, Mangás e Música e sua relação com a realidade do mundo.

Os alunos participantes têm sido metralhados com conteúdo ligado à cultura pop para que tenham noção onde estão colocando seus pés (e principalmente a mente) para que mais à frente o processo se inverta.

Explicando melhor: a ideia é que os próprios alunos do projeto realizem atividades ligadas a algum dos meios afinados à cultura pop para que no segundo semestre isto seja objeto de uma aula ministrada por cada um deles.

Além disso, o professor Dhiancarlo Miranda tenta vislumbrar alguns passeios com a intenção de mergulhar os alunos cada vez mais neste universo geek e nerd e ainda há a possibilidade de algum evento voltado para a atividade cosplay.

No momento o que há são algumas imagens das aulas que já aconteceram e que demonstram a necessidade de mostrar bastante conteúdo para os meninos e meninas.

Veja abaixo:

Alunos mediadores na EMEI Cecília Meireles – versão 2017

20170530_114837[1]

Já virou um ritual necessário e obrigatório: os alunos-mediadores da Sala de Leitura Cora Coralina da EMEF Professor Rivadávia Marques Junior realizam atividade de contação de histórias às crianças da EMEI Cecílica Meireles e quem acaba aprendendo mais são os professores que acompanham o projeto.

Neste ano de 2017 a ação permeia leitura com os alunos do ciclo que terá contato com a escola de ensino fundamental já no próximo ano letivo e tudo se inicia com uma conversa com eles com a posterior atividade no próprio chão do colégio.

O professor Dhiancarlo Miranda é o responsável direto pelo projeto, mas nada seria possível se não fosse pela decisiva colaboração das coordenações pedagógicas de cada uma das escolas e pela autorização de ambas as gestões escolares.

Com todo o envolvimento dos alunos jovens com as crianças menores há uma interação salutar e uma aproximação necessária para todos os participantes, além do acompanhamento do professor ficar mais facilitado.

Haverá mais atividade à frente e somente a empolgação de todo mundo que participa já demonstra que, mesmo ainda no começo da empreitada, o movimento é um sucesso total.

Veja abaixo, alguns registros da leitura sendo realizada na EMEI.

Até a próxima!

Vai uma poesia ao pé do ouvido aí?

Ontem, dia 10/05, foi realizada na EMEF Professor Rivadávia Marques Junior a primeira de uma série de atividades culturais neste mês de Maio voltada para o público infantil.

Desta feita a ideia foi convidar os alunos e professores responsáveis pelo projeto “Poesia ao Pé do Ouvido” desenvolvido na EMEF Alceu Amoroso Lima.

Vieram junto com os 17 alunos o professor Rogério e a professora Mara que ministraram palestra sobre a atividade e como foi realizada o projeto dentro do horário escolar.

Após isso, ocorreu um tour pela escola com os alunos participantes da atividade desenvolvendo a leitura para as crianças dos 1ºs, 2ºs, 3ºs e 5ºs anos do ensino fundamental I.

As crianças ficaram maravilhadas pela forma como são lidas as poesias e da maneira como elas chegam aos nossos ouvidos.

Paz, calma e sossego foram algumas das palavras que mais se ouviam após a leitura que os meninos e meninas do projeto faziam como o um cone moldado especialmente para isso.

Com textos de Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade, Mário Quintana, Bertold Brecht, William Shakespeare, entre outros, a ação pode ser realizada tanto para os pequenos quanto para os jovens e ainda há os adultos que se derretem pelos escritos.

Abaixo, algumas fotos da atividade de ontem:

 

 

Leituraço do Riva 2016 – versão 2° semestre

Já virou tradição!
Se no primeiro semestre houve atividade no Sesc Itaquera e também aos sábados com o leituraço da diversidade agora o evento acontece em todos os espaços da escola.
Sob a supervisão da professora orientadora de sala de leitura Regiane Biecco, o leituraço do Riva em sua versão segundo semestre teve a sorte de contar uma ajudinha do tempo neste final de inverno e aconteceu numa tarde de bastante sol.
Os professores, funcionários, colaboradores e alunos-mediadores da manhã também ajudaram a realizar a grande festa de leitura de nossa escola.
Por fim, fica o sentimento de que a cada evento destes os alunos se apaixonam mais pela leitura e os professores se entrosar mais ainda com os estudantes.
Abaixo, veja algumas das imagens durante a leitura simultânea nos inúmeros e diversos locais do colégio.

III Encontro de Mediadores de Leitura de São Mateus. Mais uma ação com os alunos do Riva

Acontece durante todo o dia de hoje (22) o encontro literário da DRE São Mateus na qual está inserida a atividade junto com os alunos-mediadores de leitura da região.
O evento no qual está sendo promovida a cultura de arte periférica e literatura de cordel há inúmeros palestrantes, casos do cordelista João Lago e o poeta Márcio Ricardo, a interação entre os jovens alunos da rede pública de ensino de São Paulo segue intensa e produtiva.
Além disso, é importante frisar i espaço como um reprodutor de informações sobre como acontecem as atividades de sala de leitura nas imediações e facilita o contato entre os professores que se engajam na função de incluir os meninos e meninas na leitura, não só dos livros, mas do mundo como um todo.
Abaixo, há algumas imagens do encontro: