Pegadas Sutís

Pegadas sutis

 

A acalentada figura da sombra vista ao relance de nossos enfoques

Soluciona a plena forma abstrata da luz

Cor, brilho, prisma,

Pretensiosamente afortunam o baú de dourados tesouros.

 

Aonde vai a queda?

 

Por quem choram os orvalhos que desenham caminhos?

Por que silenciar o grito pleno?

 

Que a ventania seja o sopro do amor alheio,

Praticidade, amálgama das cruzes instaladas em nosso âmago.

Cerne, durame, medula,

Forma fixa de fim e inicio sem que o centro seja encontrado.

 

Aonde vai a queda?

 

Por quem choram os orvalhos que desenham caminhos?

Por que silenciar o grito pleno?

 

Por horas o restolho parece ser a fatia maior.

Historia perde sua síntese,

Reconto, factóide, crônica,

A mais tensa reticência provoca arrepio.

 

Olhos porcos, olho os porcos,

Corpos nus em meio à sina dos sinais da vida

Nos corpos meio que sinalizados pela morte

Por nublagens que nos provoquem a formula do desejo.

 

Aonde vai a queda?

 

Por quem choram os orvalhos que desenham caminhos?

Por que silenciar o grito pleno?

 

A procedência dos passos libera o futuro.

Fruto se abre ao sol que aquece a fina camada de desespero.

Forja, criação, molde,

Concessão da letra fresca no papel.

 

Aonde vai a queda?

 

Por quem choram os orvalhos que desenham caminhos?

Por que silenciar o grito pleno?

 

Pela presunção do piso arrancado sob o pé

Crava-se o prego de idéias sem alvo próprio.

Palavra, verbo, método,

Tudo ao redor gira em torno de si mesmo.

 

O infinito é linear sob todos os aspectos preliminares.

Precisão salva o literal direito da saída.

Argumento, ponto, fim

Ao simulacro visionário da constante tendência de se anular

 

                                                O crivo se espalha

O crime se atreve

A bala se abala

E o nada é o que fere

 

Aonde vai a queda?

 

Por quem choram os orvalhos que desenham caminhos?

Por que silenciar o grito pleno?

 

Cor, brilho, prisma.

…Queda?

Cerne, durame, medula.

…Queda?

Reconto, factóide, crônica.

…Queda?

Palavra, verbo, método.

…Queda?

Argumento, ponto, fim.

Anúncios

O preenchimento

O preenchimento
 
 Tudo, teimosia, tensão
Palavras, parceria, professor
 Sensibilidade, sentimento, sexo
 Amor, ariana, açaí
 Dignidade, densidade, definição
 Felicidade, família, fé
 Especial, escorpião, enfermeira
 Zangada, Zelo, Zodíaco
 kafka, karma, knowledge
 Jóia, juramento, jeito
 Gostosa, generosa, gestos
 Maravilhosa, misticísmo, mandona
 Orgulhosa, original, olhos
 Nervosa, nítida, natural
 Querida, qualidade, quantidade
 Wonderfull, Winner, Wife
 Razão, relacionamento, raridade
 Bonita, beleza, benção
 Harmonia, Heroína, habilidosa
 Xerife, xodó, xereta
 Única, unidade, útil
 Imortal, Inteligencia, ideal
 V3, verdade, visceral
 Canção, carinho, coração
 Yes, you, youth
 Linda, liberdade, Luzia  

O vazio

O vazio
 
O que se expande numa cabeça atordoada pelo silêncio
O que se permite dizer de uma boca calada
Por onde sai o suor de um esforço solitário
Quem avalia o batimento de um coração de gelo
Quais os comandos de dedos sem rumo
Por quem dobram os braços indiferentes
De que é feito o olhar triste, mas sem direção
Qual é a solidão de alguém que sempre o foi
 
Ninguém pode segui-lo
Nada deve tentar modifica-lo
Ninguém merece passar pelo seu caminho
E se decepcionar com sua falta de respiração
Com seu desconhecimento do que todos querem
De seu descontentar maligno
 
Que as forças divinas afastem os bons
De sua morbidez profunda
De seu palavriado seco
De sua boca
 
Nada o fará mudar
Pois ele não sabe o que faz